Ceará registra morte de homem de 45 anos sem doença crônica por coronavírus

Com sete óbitos confirmados pelo novo coronavírus, o Estado do Ceará registrou a primeira morte de um paciente não idoso e sem doença crônica. Trata-se de um homem de 45 anos, residente de Fortaleza, e sem histórico de diabetes ou doença cardiovascular. Logo, o perfil foge ao grupo de risco da Covid-19. Segundo boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde (Sesa), a vítima sequer foi internada e a enfermidade evoluiu em oito dias.

O dado é novo porque, até então, o perfil de óbitos era de pessoas com faixa etária entre 60 e 85 anos – todos com doença crônica pré-existente. Dentre as vítimas, quatro são homens e três, mulheres. A maior incidência está nos com mais de 70.

PERFIL DAS VÍTIMAS

Dados

O Estado do Ceará concentra 31% das mortes por covid-19 do Nordeste. Os dados são do Ministério da Saúde, que listou as outras 15 vítimas fatais em: Alagoas (1), Maranhão (1), Rio Grande do Norte (1), Bahia (2), Piauí (4) e Pernambuco (6).

Na região, o Ceará também concentra o maior número de infectados, com 401, segundo boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde (Sesa). A taxa de letalidade é de 1,7% – dado inferior ao montante do Brasil, que totaliza 201 mortes e índice de 3,5%.

> 150 leitos extras para pacientes com coronavírus começam a funcionar no fim de semana

> Coronavírus: Brasil soma 201 mortes e 5.717 casos, segundo Ministério da Saúde

Segundo o Ministério da Saúde, o Estado ainda apresenta 13 pessoas internadas com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) causada pela covid-19. Nesta terça-feira (31) o governador Camilo Santana até informou que o Hospital Leonardo da Vinci, em Fortaleza, tem 40 leitos ocupados por contaminados.

Através das redes sociais, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, reforçou que as pessoas do grupo de risco da covid-19 que apresentarem qualquer sintoma envolvendo dificuldade respiratória precisam buscar atendimento. “Nos hospitais públicos e privados, houve uma redução das demandas nos últimos dias. É bom porque evita a ida desnecessária, mas quem tem paciente com mais 60 anos e que inicie qualquer quadro de desconforto respiratório é fundamental que ele vá imediatamente ao hospital. Esse atendimento rápido é muito importante e pode definir o futuro clínico do paciente”, explicou.

O apelo é motivado pelo retrospecto das vítimas. Mesmo pertencendo ao grupo de risco, uma mulher de 85 anos, com doença cardiovascular e diabetes, faleceu sem passar sequer um dia internada, conforme dado da Sesa. O mesmo ocorreu com um homem de 65 anos, acometido pela doença depois de oito dias.

DETALHES DO BOLETIM DA SESA

Hospitalizações de casos confirmados de COVID-19

Fortaleza – 22 (Enfermaria) | (22 (UTI) | 27 (Alta hospitalar)

Juazeiro do Norte – 1 (Enfermaria) | 0 (UTI) | 0 (Alta hospitalar)

Testes realizados

LACEN – 231 (detectado) | 2.096 (não detectado) | 1921 (aguardando resultado)

LAB. Particular – 181 (detectado) | 751 (não detectado) | 38 (aguardando resultado)

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *