Programa Dentro e Fora da Lei - ao vivo a partir das 9:00 da manhã,

0
0
0
s2smodern
powered by social2s

Cerca de R$ 6 milhões foram apreendidos nesta sexta-feira, dia 9, após busca e apreensão realizada em três endereços ligados ao deputado federal Adail Carneiro (PP). A quantia estaria toda dividida em pacotes com cédulas de 100 reais e foi encontrado num cofre da empresa Locadora de Autos Ceará (Lauce), na avenida desembargador Moreira, na Aldeota. O POVO apurou que a origem do dinheiro estaria ligada a contratos da locadora do deputado com prefeituras do Ceará.
A operação Km Livre, em referência ao ramo da empresa do deputado, foi executada pela Polícia Federal e acompanhada por cinco procuradores da República. Os mandados de busca e apreensão foram emitidos em Brasília pelo Supremo Tribunal Federal (STF), assinados pela ministra Rosa Weber.
Outro local visitado pelos agentes federais foi um escritório de contabilidade no bairro Papicu. O terceiro endereço só foi vistoriado no período da tarde – O POVO não conseguiu confirmar onde seria. Também foram apreendidos computadores e documentos. Outros dois endereços, no Centro e na Sapiranga, seriam vistoriados, mas a operação acabou abortada nesses locais.
Advogados do deputado afirmam que a locadora seria uma empresa pertencente à sua família e que Adail não estaria mais à frente dos negócios. A advogada Leliana Rolim declarou ao jornal O Estado de S.Paulo que a empresa tomará medidas cabíveis para obter a devolução do dinheiro, que segundo ela seriam recursos do caixa da empresa contabilmente comprovados.
Adail Carneiro foi o parlamentar que mudou seu voto a favor do impeachment, na sessão da Câmara Federal de 17 de abril que confirmou o afastamento da presidente Dilma Rousseff. Um dia antes daquela sessão, ele se mantinha aliado do governador Camilo Santana e havia indicado que votaria contra a abertura do processo de impedimento presidencial.
Até esta tarde, o deputado Adail Carneiro ainda não havia sido ouvido pelos delegados federais que participaram da operação. O POVO está tentando contatar o deputado. Os mandados foram assinados pelo STF porque o parlamentar tem foro privilegiado.
(O Povo)

Copyright © 2019 Você por dentro de tudo. Todos os direitos reservados.
Partner by Joomla Perfect Templates