Tv ao Vivo

Os vereadores da câmara municipal de Baturité desataram o nó górdio e decidiram por autorizar a prefeitura do principal município da região do maciço a celebrar novo contrato com a cmpanhia de agua e esgoto do Ceará-Cagece- para a exploração e abastecimento dágua e ampliação da rede de esgoto daquela cidade. Há nove anos, na gestão da ex-prefeita Silvana Vasconselos, expirava o contrato de Baturité com a cagece e a câmara de vereadores da época não autorizou a renovação do referido documento que dava à estatal poderes para processar o abastecimento dágua de Baturité, como ocorre na maioria dos municípios cearenses.Desde o início da atual administração daquela cidade que esta vem tentando regularizar a situação, uma vez que a cagece continua prestando serviços à população baturiteense sem nenhuma garantia legal, e o município ficava de mãos atadas sem poder cobrar da companhia, por exemplo, expansão da rede de abastecimento de água e da rede de esgotos. O presidente do poder legislativo, vereador Renaldo Braga, teve papel decisivo na aprovação de importante matéria funcionando como apaziguador de ânimos entre situacionistas e oposionistas naquela casa. Agora, assinada a renovação do contrato com a cagece, a companhia estatal se compromote a investir R$ 50 milhões de reais na ampliação das redes de água e esgoto de Baturité, além de outros benefícios advindos da renovação do rerferido contrato.  

0
0
0
s2sdefault

Quarenta e oito pessoas foram assassinadas no Ceará no fim de semana. Entre a sexta-feira (15) e o domingo (17), 23 pessoas foram mortas Grande Fortaleza, sendo 12 na Capital e outras 11 na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Já o interior do estado foi ainda mais violento, com o registro de 25 homicídios, sendo 17 na Região Sul e outros oito na Região Norte. Entre as vítimas da criminalidade estão sete mulheres, incluindo uma idosa de 91 anos e uma adolescente de 12.

Os 12 assassinatos em Fortaleza ocorreram nos seguintes bairros: Floresta, Granja Portugal, Bom Jardim, Mucuripe (Via Expressa), João XXIII (duplo), Bonsucesso, Carlito Pamplona, Parque Santa Maria, Parque Iracema, Pici e Genibaú.

Na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), foram registrados 11 assassinatos e achados de cadáveres nos seguintes Municípios: Caucaia (4 crimes), Maracanaú (2), Horizonte (2), Itaitinga (2) e um em Pacatuba.

No Interior Norte do estado, as autoridades registraram oito homicídios nos seguintes Municípios: Canindé (2 casos), Monsenhor Tabosa, Santana do Acaraú, Boa Viagem, Barreira, Ipu e Jijoca de Jericoacoara.

Já no Interior Sul foi registrado o maior índice de Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs) no período entre a sexta-feira e o domingo. No total, 17 pessoas foram assassinadas nos seguintes Municípios: Juazeiro do Norte (3 casos), Quixeramobim (2), Saboeiro (2), Crato (2), Quixadá, Tabuleiro do Norte, Ibicuitinga, Senador Pompeu, Iguatu, Russas, Tauá e Pedra Branca.

Mulheres assassinadas

Sete mulheres foram assassinadas no fim de semana, sendo três em Fortaleza (nos bairros João XXIII/um duplo e Parque Iracema), duas na Região Metropolitana de Fortaleza (em Caucaia e Horizonte) e duas no Interior (nos Municípios de Tauá e Pedra Branca).

Em Fortaleza, os corpos de mãe e filha foram encontrados na residência em que elas moravam, no bairro João XXIII. As vítimas foram identificadas como Cláudia do Nascimento Fernandes, 30 anos; e sua filha, a adolescente Letícia do Nascimento Fernandes, 12. As duas teriam sido mortas por asfixia na última quinta-feira (14), porém, os corpos só foram localizados no sábado (16). O companheiro de Cláudia é o suspeito do crime e está foragido.

Na cidade de Tauá, na Região dos Inhamuns (a 337Km de Fortaleza), foi localizado o corpo da idosa Francisca Aurora do Espírito Santo, 91 anos. Ela foi morta a pauladas e sofreu ainda abuso sexual.

Em Horizonte, uma mulher foi morta quando amamentava a filha. A jovem Thallyta Mendes de Lima, 18 anos, foi executada a tiros, na porta de casa, no bairro Dourados. O crime ocorreu na manhã da última sexta-feira (15).

Morte em confronto

Também foi registrada uma morte por intervenção policial, fato ocorrido na cidade de Quixeramobim (a 301Km de Fortaleza), no Sertão Central, na manhã do último sábado.

0
0
0
s2sdefault

A Polícia Civil está investigando no município de Pedra Branca, no Centro do Estado, a causa da morte de uma mulher de 26 anos, identificada como Ana Quezia Lira. As suspeitas são de crime passional. Conforme informações da Polícia, ela foi vítima de um acidente registrado na madrugada deste domingo (17), no cruzamento das BRs 020 e 226, na localidade de Santa Cruz do Banabuiú. Um automóvel colidiu com a motocicleta na qual a vítima era passageira.Ela teve morte imediata.

A Polícia Militar informou que o acidente foi causado pelo ex-namorado da jovem. Ele, identificado apenas pelo nome Luiz Gustavo Pereira da Silva, 29 anos, dirigia o automóvel Volkswagen Gol, placa HUX 1617, e após a colisão, proposital, fugiu do local. O motorista foi encontrado na entrada de uma estrada carroçável, entre o distrito de Santa Cruz do Banabuiú, também conhecido como Cruzeta, e a vila Bom Jesus. Em seguida foi conduzido à delegacia da Polícia Civil em Mombaça, onde foi autuado.

Automóvel destruído

Agora, além da morte da ex-namorada, a Polícia deverá investigar quem retirou o veículo envolvido no sinistro do local onde o motorista foi preso. Enquanto ele era conduzido até a delegacia de Mombaça, que estava de plantão neste domingo, o carro foi destruído. Os policiais militares encontraram o automóvel na casa dele, amassado, com os vidros quebrados e os quatro pneus furados. As suspeitas são, de que revoltados, os moradores da localidade onde a vítima morava danificaram o veículo.

Ana Quezia era muito querida em Santa Cruz do Banabuiú, onde nasceu e morava. Além da formação em Pedagogia ela era assistente social. Tinha uma filha de apenas seis anos de idade.

0
0
0
s2sdefault

Um leilão unificado do Cariri acontecerá, às 9 horas do dia 27 deste mês de junho, com bens penhorados em processos que tramitam nas três varas do trabalho da Região. São, ao todo, doze lotes com bens móveis, imóveis, máquinas e veículos, no valor total de R$ 11,8 milhões. O leilão será realizado no Fórum Trabalhista Desembargador Paulo da Silva Porto, em Juazeiro do Norte, informa a assessoria de imprensa do TRT do Estado.

Um terreno em área urbana, localizado em zona loteada, em Juazeiro do Norte, é o item de maior valor disponível no leilão. O espaço de 7.047 m² está avaliado em R$ 6,35 milhões, e o lance mínimo é fixado a partir de R$ 4,5 milhões. No lote mais em conta, há uma motocicleta vermelha ano 2005, avaliada em R$ 2.500 e lance mínimo de R$ 1.125.

Neste leilão, os bens móveis compõem a maior quantidade de itens dispostos a venda e arrematação. Entre os produtos, estão caixas de som, centrais de ar, fogões, geladeiras, máquinas de lavar roupas etc. Há destaque também para objetos inusitados, como um cortador de verduras, formas de bolo e um conjunto de toalhas.

Os interessados em arrematar os bens no leilão podem recorrer a duas possibilidades: participar presencialmente no Fórum Trabalhista Desembargador Paulo da Silva Porto, portando documento de identificação oficial, ou ofertar lances via internet, pelo site www.willianleiloes.com.br/. Para esta possibilidade, é preciso fazer o cadastramento no site com antecedência mínima de 48 horas antes do início do evento.

SERVIÇO

*Fórum Trabalhista Desembargador Paulo da Silva Porto – Rua Rafael Malzoni, 761, São José – Juazeiro do Norte

0
0
0
s2sdefault

Prestes a oficializar uma coligação que já supera, em número de partidos - aliados contabilizam até 24 legendas -, o arco de aliança no qual foi eleito em 2014, o governador Camilo Santana (PT) tem pela frente a tarefa de equilibrar interesses diversos para garantir unidade ao bloco, mas ter tantos partidos como aliados não significa que, após a eleição, todos façam parte, na prática, do Governo do Estado. Entre as legendas que compõem a base governista no atual mandato, algumas pouco acumulam contribuições com os rumos da administração estadual, seja tentando levar pautas de seus programas para o chefe do Poder Executivo ou participando ativamente de ações da gestão. Alianças, então, acabam tendo função essencialmente eleitoral.

> Maioria da base aliada é contra 'blocão', diz Zezinho

Em 2014, Camilo disputou a eleição com o apoio oficial de 18 partidos: PRB, PP, PDT, PT, PTB, PSL, PRTB, PHS, PMN, PTC, PV, PEN, PPL, PSD, PCdoB, PTdoB (atual Avante), SD e PROS. Neste ano, após idas e vindas de algumas legendas, tentará a reeleição sem o apoio do PROS, mas devem marchar com o governador, também, o MDB, o DEM, o PSC, o PPS, o PRP, o PR e o Podemos (ex-PTN). Há partidos que preferem ainda não falar em aliança majoritária com o PT até a realização da convenção partidária que oficializará, entre 20 de julho e 5 de agosto, a coligação governista para o pleito de outubro próximo, embora aliados do governador já deem como certa a presença dessas siglas no arco de aliança.

Dois trunfos eleitorais utilizados na formação das chapas - a distribuição do tempo de propaganda em rádio e televisão e dos recursos do fundo de financiamento público de campanha - devem ter menos peso em 2018 para algumas legendas. Isso porque, desde a reforma eleitoral de 2015, a distribuição do tempo de propaganda em rádio e TV é calculada com base no tamanho das bancadas eleitas de cada partido nas últimas eleições, mas cada coligação só poderá contabilizar o tempo das seis legendas de maior coeficiente. Já o fundo eleitoral, aprovado pelo Congresso Nacional no ano passado, também será, majoritariamente, distribuído pela proporção das bancadas no Legislativo. Desde antes destas mudanças, porém, a presença de alguns partidos na coligação vitoriosa já não significava atuação efetiva na construção do governo.

Apoio logístico

O atual Podemos, por exemplo, embora tenha feito parte da coligação do então candidato a governador Eunício Oliveira (MDB), adversário de Camilo Santana em 2014, aproximou-se do governo ao longo do atual mandato do governador a partir da adesão do único deputado estadual eleito pelo partido, Julinho (hoje no PPS), à base aliada na Assembleia Legislativa.

Segundo o vice-presidente estadual da sigla, Toinho do Chapéu, esta foi a única relação do partido com o Governo do Estado ao longo da gestão, que findou quando o parlamentar eleito pela sigla migrou para o PDT, em 2016. "Não temos nada no governo hoje. Eu diria que tanto o partido pode estar no grupo como não. Isso vai depender da executiva nacional", explica. O dirigente reconhece, portanto, que a atuação do PTN junto ao Governo do Estado limitou-se a "apoio logístico", mas ressalta que "não houve participação".

O PPL, ainda que tenha feito parte da coligação vitoriosa em 2014, também não participou do governo após a eleição. Sem cargo na administração estadual, o discurso da legenda é de que, em eventual reeleição de Camilo, possa ter alguma atuação no Executivo. "Não temos nenhuma participação efetiva no governo. Não que não seja do nosso interesse, mas, até o momento, não foi possível. A gente pretende, nesse próximo momento, contribuir de maneira mais efetiva", diz André Ramos, presidente estadual do partido.

Assim como no caso do Podemos, as atenções do PPL estão concentradas na busca pela eleição de deputados federais. Com três vereadores em Fortaleza, André Ramos acredita, porém, que o partido "pode dar uma importante colaboração nessa próxima eleição" ao governador. Com tantas agremiações na coligação majoritária, o presidente do PPL no Estado opina, ainda, que o maior desafio que o petista tem à frente é "não cair no fisiologismo para atender à sanha de tantos partidos".

A negação do fisiologismo é também sustentada pelo deputado federal Odorico Monteiro, presidente estadual do PSB. "A nossa relação não é fisiológica, não é uma coisa ligada a cargos, agora, temos uma preocupação programática. Estamos fazendo plenárias populares, campanhas de organização do partido no Estado todo, para ouvir os vários segmentos do PSB", justifica.

De acordo com Odorico, o partido tem realizado encontros com vários núcleos internos para discutir pautas relacionadas a temas como saúde, recursos hídricos e pesca. Depois disso, o PSB pretende agendar, até o final de junho, uma reunião para apresentar sugestões ao governador Camilo Santana.

Sem conflitos

Já o PRB, que tem Euler Barbosa na Secretaria do Esporte, defende que busca contribuir com o Governo do Estado não só na estrutura da administração estadual, mas também a partir dos espaços ocupados pela agremiação no Governo Federal. O deputado federal Ronaldo Martins, que preside o partido no Ceará, aponta, por exemplo, que destina emendas individuais ao Estado, além de buscar levar interesses da gestão estadual a ministérios e secretarias ocupadas pelo PRB, caso da Secretaria da Pesca e do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Ao tratar da manutenção da aliança com o governador para o pleito, ele diz que "vamos continuar contribuindo, levando ideias" ao Governo do Estado.

Ele adianta, ainda, que o partido ainda não tem definições sobre pré-candidaturas à disputa proporcional, mas ressalta que, embora nacionalmente a pré-candidatura do PRB ao Palácio do Planalto, encabeçada pelo empresário Flávio Rocha, assuma bandeiras opostas às de governos mais alinhados à esquerda, não vê conflito em compor aliança estadual com uma gestão petista. "O nosso apoio a nível de Estado para o governo é uma coisa, e o partido ter candidatura própria para presidente é outra coisa diferente".

0
0
0
s2sdefault